Logo

Logo

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Gran Circo

Hoje tem palhaçada? Tem sim senhor! Hoje tem marmelada? Tem sim senhor! Senhoras e senhores, meninos e meninas, venho mui respeitosamente apresentar o maior espetáculo da Terra! Do longínquo oriente, Tatsuo, o contorcionista. Sylva, o homem-bala. A turma de palhaços LiBeLu. Primus, o Domador de feras. E nossa grande estrela, Macri, o Mago Implacável. Venham se diverti e maravilhar com essas e muitas ouras atrações. Aproximem-se, Gran Circo Tá na Mesa!

Gran Circo é um dos primeiros jogos do Mestre Marcos Macri, lançado em 2012. Para três a cinco jogadores, com duração média de 30 minutos, em Gran Circo os jogadores devem administrar seu próprio circo.

- Jogo de circo? Que palhaçada é essa?

Nenhuma palhaçada. Bozó! Gran Circo, apesar do tema parecer bobo, é um belo jogo de gerenciamento. Ao contrário do que se possa imaginar, o foco aqui não é o espetáculo (apesar dele ser muito importante), mas administrar recursos para transformar seu circo no maior show da Terra.



A partida se desenvolve em quatro turnos, divididos em três etapas. No fim da segunda e da quarta rodada acontece a Apresentação. No início do turno cada jogador vai pegar aleatoriamente três artistas e ganhar dinheiro pelo número de estrelas que cada um tem, mas esses talentos não ficarão no seu circo. Na segunda etapa, começando pelo primeiro jogador, todos devem passar seu artista para outo jogador, colocando no tabuleiro central, em forma de picadeiro (Nota da Sra. Slovic: Um método interessante de balanceamento, quem fica com mais dinheiro não necessariamente fica com os melhores artistas). Cada jogador pode ficar com no máximo três artistas. No fim da distribuição, se alguém ficou com um repetido, deve mandar para a Cooperativa, onde ficará disponível para os outros jogadores contratarem. Depois, cada jogador deve escolher um ou dois Parceiros. Eles podem ser Caça Talentos (Deixa você ficar com um artista de sua mão), Empresários (Troca um artista com outro jogador), Sócio (Contrata um artista da cooperativa de graça) e o Empresário (Dá descontos ao comprar uma Melhoria).



Já Na terceira, os jogadores podem comprar melhorias para o circo. Há três tipos: Equipamentos, Barracas e Propaganda. Os equipamentos dão Pontos de Vitória (PV) se o requisito dele for cumprido (Nota do Sr. Slovic: Por exemplo, Sapatos & Perucas só darão Pvs se você tiver um Palhaço no espetáculo). Já as Barracas, dão dinheiro e Pvs, enquanto a Propaganda dá Pvs, mas ao contrário do Equipamento, elas são descartadas no fim da Apresentação. Ainda na segunda etapa, os jogadores podem contratar artistas que estão na Cooperativa. Se for o fim da segunda ou quarta rodada, acontece o Espetáculo, onde são contados todos os Pvs.



- As regras são muito simples. Não pode ser bom. Com certeza é nacional.

Xi, Marquinhos. Deixa de ter síndrome de vira-lata. Claro que é nacional. Um dos melhores trabalhos do Macri (Nota do Sr. Slovic: E um dos primeiros). Grand Circo já está na sua Segunda Edição, que já vem com uma mini expansão, que adiciona a Administradora (que pode ser usada uma vez por partida e dá alguns bônus), o Apresentador (que dá PV dependendo de como o Espetáculo foi montado. É possível contratar um por Apresentação) e Bonificação para os jogadores que compram o sexto Equipamento.



No geral, Gran Circo é um ótimo jogo (Nota do Casal Slovic: Para nós é o segundo melhor jogo do Mestre Macri até agora, só perdendo para Dogs. E temos uma cópia autografada! Assim como Dogs!). Ele é colorido e bonito, mas não se deixe enganar. Por trás de toda essa luz, há um jogo com forte pegada de administração e gerenciamento, longe de ser um jogo infantil. Os componentes são bons, principalmente que se deve levar em conta que é um produto 1.000% nacional e que nossa indústria de Tabuleiros ainda está engatinhando, o que dirá na época que foi lançado. Agora, deixe de palhaçada e venha jogar!




Nenhum comentário:

Postar um comentário