Logo

Logo

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Through the Ages

Uma civilização é como um ser vivo. Ela nasce, cresce e morre. Algumas até se reproduzem. Tem aquelas que duram poucas gerações, outras milênios. Muitas desapareceram sem deixar muitos vestígios e poucas estão para sempre na história. E a sua, ela sobreviverá através das eras? Prepare-se, pois Through the Ages Tá na Mesa!



Through the Ages: A New Story of Civilization é um mega jogo criado em 2015 pelo aclamado mestre Vlaada Chvatil. De dois a quatro jogadores, com duração média de 75 minutos por participante, os jogadores devem conduzir sua civilização a glória.

- Cara, que jogo demorado. Deve ser muito complicado para minha cabeça.

Nisso concordamos. Sugiro jogos mais simples para você, tipo par ou ímpar contra o espelho e uma dica especial do Casal Slovic: Sempre escolha ímpar! Through the Ages: A New Story of Civilization é uma revisão do grande sucesso de 2006. O jogo é fantástico, denso e complexo, porém as regras básicas são bem simples. O turno do jogador é dividido em três etapas: Ação Política, Ações Civis e/ou Militares, Produção/Fim de Turno.



O jogo é todo baseado em cartas e há dois tipos: Cartas Civis e Cartas Militares. Ambas estão divididos em inúmeros tipos. O jogo também possui vários tipos de marcadores, que mudam de função conforme a carta onde estão. Os Amarelos representam a população, mas se estão em uma carta de Agricultura, serão fazendas, se estiverem em cartas de Religião, serão templos, e se estiverem em cartas de Exército, serão unidades. O mesmo para os marcadores azuis que são recursos.

Já os marcadores brancos indicam quantas Ações Civis o jogador tem e os Vermelho as Ações Militares. As ações Civis servem para comprar cartas e ativá-las, seja Cartas de Tecnologia, Cartas Militares, Cartas de Prédios, Líderes ou Maravilhas. Para ativar algumas cartas é necessário gastar Pontos de Ciência, para outros gastar População e/ou Minérios. Já as Ações Militares servem para criar novas tropas, baixar Cartas de Táticas, usar Cartas de Agressão ou iniciar Guerras.



- Credo, que jogo violento. Abaixo a opressão.

Meu caro pacifista de meia tigela, Through the Ages é um jogo que simula o desenvolvimento das civilizações e sinto lhe informar, mas a história da humanidade está banhada em sangue. Se quer algo mais do seu gênero, sugiro Esconde-Esconde sozinho. Você começa a se esconder e fique lá até alguém te encontrar. O jogo se passa em três eras. Por ser muito complexo e demorado, há regras para jogar só uma ou duas Era. A partida termina no fim da última Era e vence quem tiver mais Pontos de Cultura. A quantidade de Ações Civil e Militar depende do tipo de Sistema de Governo adotado. Alguns Líderes e Tecnologias alteram o número de marcadores disponíveis.



A escolha dos líderes pode ser uma importante bússola para nortear o avanço da sua civilização. Há os mais militares, que vão dar bônus para suas unidades. Há os científicos, que auxiliam na construção de bibliotecas. Há os pacifistas, que te impedem de realizar ações hostis contra os adversários, mas também, dificulta de você ser atacado. Sua Força Militar não é algo para ser menosprezado. Além de te proteger de possíveis ataques, ajudam na obtenção de Colônias, que podem te dar várias vantagens. Além do mais, lembre-se, as vezes a melhor defesa é o ataque.

Dois fatores importantes são a Felicidade e a Taxa de Ciência. A primeira serve para não ter cidadãos descontentes, que podem causar uma rebelião e impedir a produção de Recursos no turno. Para aumentá-la, é necessário investir no bem-estar da população, seja com templos ou com uma política de Pão-e-Circo. Para construir essas melhorias é necessário produzir Recursos, então cuidado com a Felicidade da população, ou pode cair em um loop infinito de Guerra Civil. Já a Taxa de Ciência serve para descobrir novas Tecnologias, novos tipos de Prédios e de Unidades Militares. Para aumentá-la é necessário construir bibliotecas, usando recursos e população, mas que podem ser necessários para melhorar o poderio militar, que já pode estar obsoleto frente aos adversários.



Como se pode ser, mais que um jogo de Civilização, Through é um jogo de Gerenciamento. Tem muitos aspectos para administrar: Prédios, Líder, Produção, População, Tecnologia, Corrupção, Felicidade dos Cidadãos, Ciência, Sistema de Governo, Cultura, Força Militar e seus adversários. Sim, é importante saber o que as outras civilizações estão fazendo e se preparar para possíveis ataques ou buscar rentáveis aliados.


No Geral, Through the Ages: A New Story of Civilization é um jogo fantástico e sensacional, mas não é para todo o tipo de público. Se você gosta de jogos de civilização, como Historia e Deus e gosta de jogos pesados e complexos, como Terra Mystica e DungeonPetz (Nota do Sr. Slovic: Que também é do Vlaada, assim como Dungeon Lords. Ele realmente gosta de jogos difíceis), então esse é para você. E um aviso importante: você provavelmente não vai entender nada na primeira vez que jogar. Talvez comece a enxergar algo depois da terceira ou quarta partida. Mas não desista. Como tem muita coisa para controlar os primeiros jogos podem ser frustantes, com você não conseguindo fazer mais nada ainda no meio da partida. Não entre em desespero e tente de novo. Vale a pena. Through the Ages é a prova que um grande jogo de civilização não precisa de enormes tabuleiros modulares, miniaturas super detalhadas e dados de combate (Nota do Sr. Slovic: Claro que isso ajuda em alguns casos). Agora, devo partir, antes que aquela população enraivecida corte minha cabeça. Vida de Déspota Esclarecido não é fácil.


Nenhum comentário:

Postar um comentário