Logo

Logo

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Elfenland

Meu Ionn, agora que está a atingir a idade sábia, deverá percorrer o reino em busca de conhecimento. Prepara-te, pois irá desde os desertos escaldantes até os picos mais íngremes das cordilheiras. Conhecerá seu povo e deverá ser conhecido por eles. Dragões serão tua montaria, irá conduzir nuvens, andará com ogros e unicórnios, cavalgará javalis e subindo ou descendo as corredeiras, sempre irá encontrar abrigo em teu destino. A mãe de teu avô e o pai da avó dela também fizeram o mesmo. Nem todos foram bem sucedidos, mas eu sim e por isso você também será. Não estará sozinho na jornada, mas sempre desacompanhado ficará. Outros hão de fazer o mesmo, em busca do teu tesouro, do teu trono, mas só um poderá triunfar, pois Elfenland Tá na Mesa!



Elfenland é um clássico, criado por Alan R. Moon lançado em 1998. De dois a seis participantes, com duração média de 60 minutos, os jogadores encarnam jovem elfos que devem fazer uma viagem por todo o reino para provar que são adultos.

- Joguinho de elfinhos e fadas. Que meigo. A caixa vem com uma fitinha rosa?

Calma, Raibow Dash ou vai perder a chuva de purpurina com seus amigos Pinky Pie e Twilight Sparkle. Elfenland não tem nada de fofo, mas também nada de assustador. Alan Moon nos trás mais um jogo sobre trilhas e viagens (Nota do Sr. Slovic: Ele é criador de EuropeAirline e da série Ticket to Ride) muito fácil de aprender e gostoso de jogar. A partida é bem simples. São quatro turnos onde cada jogador primeiro deve comprar marcadores de viagem, colocá-los no tabuleiro, determinando a rota que irá fazer no turno e por ultimo, gastando as cartas de viagem, percorrer o tabuleiro. A cada cidade que chegar, marca um ponto. No fim, vence quem tiver mais pontos.



O tabuleiro mostra o mapa do Reino, com as rotas que ligam as cidades e suas paisagens: Floresta, Campo, Rio, Montanha e Deserto. Há sete tipos de transportes, cada um melhor ou pior para se atravessar pelas rotas. Nuvens são boas em montanhas, mas não se pode usá-las no deserto. Ogros são ótimos em campos, mas péssimos em florestas. Em cada rodada os jogadores compram oito cartas e cinco marcadores de transportes.



- Que jogo idiota. É só colocar as pecinhas e ir andando de unicórnio ou voando pela nuvenzinha.

Não grite, Soneca ou o Coração Gelado vai te encontrar! Cada trilha só pode receber um marcador por rodada. Então se de Elfenhold para Lapphálya alguém já colocou um marcador de Elfenbike ninguém pode usar uma carta de Javali para passar por essa rota. O jogo consiste em determinar a melhor rota com suas cartas e marcadores. É possível usar três cartas para usar a Caravana e passar por qualquer marcador. Há uma variação em que cada jogador tem uma Cidade Natal e perde pontos no fim do jogo quanto mais distante estiver dela.



No geral, Elfenland é um bom jogo. É um clássico que se deve conhecer. Os componentes são simples (Nota da Sra. Slovic: Como a maioria dos jogos mais antigos, mas isso não é um defeito), mas de qualidade. É um jogo casual, sem grandes queimas de neurônio, perfeitos para jogar logo após um pesado (como Dominant Species ou Kanban). Lembra um pouco o conceito de Tokaido, onde a viagem é mais importante do que chegar ao destino (Nota da Sra. Slovic: A não ser que esteja jongando com as cartas de cidade. Ai é importante chegar ao lugar certo). Não é um jogo fácil de encontrar por causa da idade, mas vale muito a pena conhecer, pois foi o vencedor do Spiel des Jahrs de 1998. Agora, coloque um bom calçado e se encha de coragem, pois a jornada é longa, mas vale muito a pena.


Nenhum comentário:

Postar um comentário