Logo

Logo

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Trickerion

Muitos dizem que é só ilusão e que a chave do ilusionismo é só distração, fazer o público olhar para o outro lado enquanto o coelho entra na cartola, mas não é só isso. Tem algo mais. Quando você subir no palco grandes nomes como Will R, o Campeão ou Fräulein GaGa, o Mystico Boêmio e a grande Rainha Mercúrio, é algo mágico. Como já disse o sábio mestre: “One dream, one soul, one prize, one goal. One golden glance of what should be”. É isso que acontece quando o truque é realizado e a plateia, mesmo sem compreender como, sabe o que foi feito e aplaude com entusiasmo. Uma arte! Agora que as cortina se levantam, prepare-se, pois Trickerion Tá na Mesa!



Trickerion foi lançado em 2015 por Richard Amann e Viktor Peter. De dois a quatro participantes, com duração média duas horas, os jogadores são grandes ilusionistas em busca de fama e da preciosa joia Trickerion.

- Mágica? Isso não existe. Minha avó me ensinou que Vudu é para Jacu!

Que vida infeliz, Zé Jacaré. Um pouco de mágica é importante para a Vida, o Universo e Tudo Mais (Nota do Sr. Slovic: Melhor ainda se for Magika! Se você entendeu a referência, parabéns! E se concordou, prova que tem bom gosto). Trickerion é um jogo de Alocação de Trabalhadores, onde os jogadores colocam seus assistentes e seu mágico em várias localidades da cidade em busca de materiais para seu show, novos truques e a preparação da apresentação.

O tabuleiro principal é dividido em três áreas (quatro, se usar o lado da expansão, mas depois falamos dela): Centro da Cidade, Mercado e Teatro. O Tabuleiro individual também é uma área de alocação, a Oficina, além de armazém para os materiais. Os jogadores podem contratar ajudantes, como aprendizes, empresário, engenheiro e assistente de palco, para ajudar o mágico. Cada ajudante dá um bônus diferente, mas também tem um valor diferente de salário que deve ser pago no fim de cada turno.

Cada tipo de personagem tem diferentes Pontos de Ações (PA), assim como cada local de alocação e cada ação possível nas localidades. Saber quem e onde usar é importante para progredir na Trilha de Fama, já que no fim do quinto turno, quem tiver mais fama vence. Por exemplo, o Engenheiro tem dois PA, já o primeiro a colocar alguém no Mercado, ganha mais 2 e a Ação “compra” gasta 1 PA por produto, assim, alguém que coloca o Mágico no primeiro espaço do mercado pode comprar até quatro produtos.

No Centro é possível contratar Ajudantes, aprender novos truques e sacar dinheiro do banco. No mercado é possível comprar e encomendar itens. São doze diferentes materiais, divididos em básicos, intermediários e avançados. A Oficina é usada para preparar os truques que são apresentados no Teatro, onde se ganha dinheiro e Fama.

- Então é só colocar todo mundo no teatro. Jogo fácil assim é tão idiota.

Menos, fã do Grande Gonzales. De nada adianta colocar todo mundo no Teatro se não há nada para apresentar ou se não se aprende truques melhores. Sim, conforme o Mágico avança na Trilha de Fama truques melhores ficam disponíveis. (Nota do Sr. Slovic: E com a expansão, truques melhores ainda podem ser aprendidos).  Cada jogador começa com seu Mágico, um Aprendiz e um Auxiliar a sua escolha, além de cartas de localidades, que são usadas no início do turno para determinar aonde cada trabalhador vai. Todos têm duas de cada localidade, exceto a do Teatro, que se inicia com três.



Há quatro tipos de truques disponíveis: Óticos, Mecânicos, Espirituais e de Escape. Os Mágicos começam especializados em um desses tipos, mas podem aprender os outros, Há oitos Mágicos disponíveis no jogo (Nota da Sra. Slovic: Na expansão, os magos possuem habilidades únicas). Quando se aprende um truque, coloca-se a carta referente na Oficina e associa-se um naipe a ele. Sempre que um truque é confeccionado, tokens com esse naipe são colocados na carta e, depois, quando preparado no Teatro, são colocados em cartas de Apresentação. Vários Mágicos podem colocar truques em uma Carta de Apresentação, mais só um pode realmente apresentar o show. A preparação do show é muito importante, pois mesmo que um jogador não venha a apresenta-lo, seus truques na carta rendem dinheiro, Fama e fragmentos de Trickerion.

- Fragmento do jogo? Mas é um jogo ou um quebra-cabeça?

Até que essa pergunta não foi ruim. Já até tinha preparando um Avada Kedavra para você. Continue assim. Na verdade há uma pequena história por trás do jogo: “Havia um grande Mágico na cidade, o Grande Dahlgaard, que depois de ganhar toda fama e fortuna que sonhava, sumiu. Por décadas ninguém soube do seu paradeiro, até que um dia, quatro os maiores ilusionistas da cidade receberam um desafio. Aquele que conquistasse mais fama em cinco semanas seria o herdeiro de Dahlgaard e ficaria com sua Pedra Trickerion, que dá ao portador grades poderes”. Em jogo, os fragmentos da pedra dão ao jogador um PA extra, exceto no Teatro e Pontos do Fama no fim do jogo. Por isso ela é tão importante e difícil de obter.

Agora, normalmente, falaríamos que no geral o jogo é ótimo, finalizando o texto com os aspectos positivos e/ou negativos de Trickerion, mas até agora só falamos do jogo base, que é até interessante, mas não chega a ser sensacional. Mas com a expansão Dark Alley, Trickerion fica fantástico (Nota do Casal Slovic: O bom que a expansão já vem na caixa básica). É como se o módulo normal só fosse um aquecimento, um modo para aprender o básico. Uma nova localidade entra em jogo: o Beco Sombrio (Nota da Sra. Slovic: Daí vem o nome da expansão). A carta de localidade do Beco entra em jogo, mas a configuração inicial altera. Agora só há uma carta de cada, menos o Teatro, que fica com duas. Mas é possível comprar mais Cartas no Beco, que dão habilidades extras ao utiliza-las, mas seu uso é único. Entram em jogo também as Profecias, que são alterações nas regras que ficam ativas por uma única rodada. Outras mudanças já mencionadas são os poderes únicos dos Mágicos e o aumento de dois turnos na partida.

Há outra expansão, Dahlgaard's Gifts, que apresentam dois novos modos de jogo: Os Poderes Mágicos, onde cartas que dão novas habilidades aos mágicos, mas que custam pedras Trickerion e; Duelo Mágico, só para dois jogadores.


No geral, Trickerion é um bom jogo, que fica muito mais completo com a expansão. É daqueles Euros que se deve planejar bem os turnos futuros. O jogo é incrível, complexo e temático, tanto que no inicio do turno é possível usar uma carta de propaganda para aumentar sua fama. A arte do jogo é primorosa, uma das mais bonitas que já vimos. Há cartas para quem gosta de cartas e dados para que gosta de dados, mas não se preocupem, pois as mecânicas minimizam a influencia do fator sorte. Enfim, Trickerion tem tudo para entrar na lista de preferidos dos jogadores mais hardcore (Nota do Sr. Slovic: Já entrou no meu). Agora só nos resta fazer reverência a tão nobre e seleta plateia e dizer: It’s a kind of Magic!


Um comentário: