Logo

Logo

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Scoville

Todos na região esperam ansiosamente por esse dia. As barracas já foram montadas e os jogões acessos. Em breve, por todo o canto, o inebriante cheiro estará abrindo o apetite de multidões. Nos campos, as colheitas já começaram. Em breve o calor irá subir, por Scoville Tá na Mesa!



Scoville, criado em 2014 por Ed Marriott, com duração de 60 a 120 minutos, é um jogo para duas as seis pessoas, com um tema bem inusitado: os jogadores devem cuidar de uma plantação de pimentas e participar de uma feira culinária bem quente.



Em Scoville (Nota do Sr. Slovic: Nome de um farmacêutico que criou uma escala que mede o grau de “calor” da pimenta)  cada turno há cinco fases: Leilão, Pegar sementes, Plantação, Colheita e Preparação da receita. O leilão, feitas as cegas, determina a ordem de turno. Quem vence não é necessariamente o primeiro. Pode-se escolher quando vai jogar, pois a fase de Colheita é a ordem do turno é inversa. Tudo depende da sua estratégia. Na fase de Pegar as sementes, são abertas carta, uma por cada jogador. Há algumas cartas que dão mais sementes, variando de uma a três. As sementes, e as pimentas colhidas, são representadas por tokens coloridos. A cor depende da raridade da pimenta. Na fase de plantar, cada jogador coloca um token no tabuleiro central.

Já na fase de Colheita é que está o pulo do gato do jogo. Cada jogador tem um peão que anda no meio das plantações. Sempre que ele passa entre duas pimentas, recebe um token representando a colheita. Todos os jogadores iniciam o jogo com três pimentas: azul, amarela e vermelha (Nota da Sra. Slovic: As cores primárias). A cor da pimenta colhida depende das que estão no tabuleiro. Aqui começa uma pequena aula de artes, pois, por exemplo, vermelha e amarela dá uma laranja, amarela e azul dá verde, duas vermelhas dão outras duas vermelha, etc. Quando as cores secundárias entram na plantação, mais combinações se tornam possível, criando marrom, preta e branca. E uma combinação de preta com branca dá a raríssima pimenta fantasma (Nota da Sra. Slovic: Um belo token transparente purpurinado). Quando se anda pela plantação, não se pode passar duas vezes pelo mesmo caminho, nem passar por cima de outro jogador, o que cria possibilidades de travar seus adversários.



Nas laterais do tabuleiro são colocadas Cartas de Procura e Cartas de Receita. A quantidade depende do número de jogadores. No fim da rodada, os jogadores podem trocar as pimentas por Cartas de Procura (que dão dinheiro, pimentas melhores e/ou Pontos de Vitória) ou usá-las para preparar saborosas receitas de chilli beans (comprando as Cartas de Receita), que dão muitos pontos de vitória. Quando sobram menos de quatro Cartas de Procura na mesa, acaba o período de manhã da feira e novas Cartas de Procura (que dão mais recompensas) entram em jogo. Quando, novamente, sobrarem menos de quatro cartas na mesa, inicia-se a última rodada. O jogo também termina, mas desta vez imediatamente, se restarem menos de quatro cartas de Receitas. Vence o jogo quem tiver mais Pontos de Vitória.


- Não gostei do jogo!

Ay, Caramba! Você ficou mudo até agora. Queimou a língua grande com tanta pimenta? Como dissemos, Scoville não é um jogo muito convencional, mas possui mecânicas muito bem amarradas. É um jogo que se pode usar na escola (Nota do Grupo Jedai: Além das aulas de Educação Artística, por causa do uso das cores, é uma boa pedida em Biologia quando for falar de Genérica e as experiência de Mendel. Fica a dica!). E já tem expansão disponível: Scoville Labs!

No geral, Scoville foi uma grata surpresa. O tema é bem interessante e abre o apetite de quem gosta de comida mexicana (Nota do Sr. Slovic: Você foi avisado). O jogo tem regras simples, fáceis de ensinar e aprender. Pode até parecer bobo no início, mas pode ter certeza que logo você estará com a tabela de cruzamento na mão, queimando os neurônios para descobrir a melhor rota a se fazer na Colheita. Vamos plantar?



Nenhum comentário:

Postar um comentário