Logo

Logo

terça-feira, 10 de novembro de 2015

La Granja

As vezes, um pouco antes do amanhecer, gosto de senta a beira do lago Alpich e observar o inicio dos trabalhos nas fazendas da região. Homens e mulheres, das mais diferentes faixas etárias acordam cedo para a labuta de todo santo dia. Cuidar das plantações, alimentar os animais, preparar as encomendas, pois o povo da vila espera ansioso pela feira, onde se pode comprar as melhores carnes e vinhos da região. Além disso, tem o açougue, a mercearia e, por que não, o banco esperando as carroças vinda das fazendas. E com o dia já raiando, o que você está esperando? Corra, pois La Granja Tá na Mesa!



La Granja é um jogo para um a quatro jogadores, lançado em 2014 por Andreas Odendahl e Michel Keller. Com duração média de 90 minutos, os jogadores fazem o papel de pequenos produtores rurais, que devem administrar da melhor maneira possível seu pequeno pedaço de terra.

- La Granja? Deve ser penoso de jogar!

Nada disso, pintinho amarelinho. La Granja (Nota da Sra. Slovic: Granja em espanhol significa Fazenda e, ao contrário do que se possa imaginar, não há aves no jogo) é um jogo sem muito mistério, mas com muitas opções, que podem confundir qualquer um nas primeiras partidas. A partida é dividida em seis turnos e em cada turno há quatro fases: Sítio, Receita, Tranporte e Pontuação. Vence quem conseguir mais Pontos de Vitória no fim do jogo.

O Tabuleiro Central representa a vila de Esporles (Nota do Sr. Slovic: Cidade espanhola, que fica próxima a Mallorca onde realmente existe um grande complexo cultural chamado La Granja), onde estão a Feira e os Prédios. Já o Tabuleiro Individual, que representa o sítio de cada jogador, tem um formato nada ortodoxo, por causa das cartas que são usadas em jogo. Esse é uma das boas sacadas do La Granja.



Cada carta pode ser usada de quatro maneiras diferentes, dependendo de como o jogador a usa em seu tabuleiro. Se usadas nas laterais, representam plantações (lado direito) ou estábulos (lado esquerdo). Na parte superior, são contratos de venda. E na parte inferior, trabalhadores. Cada sítio comporta no máximo três Contratos (cada vez que um é completado, libera espaço para outro), três espaços para Trabalhadores (que podem ser descartados para ceder a vaga a outro) e não há limites para Plantações e Estábulos (Nota do Sr. Slovic: Diferente do possa imaginar, são usados para criação de porcos, não cavalos). A única diferença na hora de baixar as cartas, é que os Estábulos custam recursos e quanto mais baixados, mais caro fica o próximo. Os Contratos permitem levar a produção para a feira e os trabalhadores dão habilidades especiais, que permitem quebrar várias regras.

Há algumas ações livres, que podem ser feitas a momento no turno no turno do jogador: vender ou comprar Recursos (azeitona, grãos, uva e porcos), transformar Recursos em Produtos (Azeitonas e Grãos em Comida, Uva em Vinho e Porco em Carne) e usar a vantagem de um Telhado. Mercadorias são o Coringa do jogo. São armazenados no centro do sítio e podem ser usados para várias coisas: Fazer Produtos sem pagar, conseguir Mercadorias, ganhar dinheiro.

- Uai... É muita coisa. Isso não vai dar certo.

Calma, primo distante do Zé da Roça! Sim, La Granja tem muitas informações, mas o jogo é fluído. Na primeira ocorre no sítio: novas cartas são baixadas, as plantações e o rebanho crescem e há possibilidade de reformar o telhado, pois a cada rodada uma Telha por jogador fica disponível para compra. A Telha concede um benefício, que só pode ser usado uma única vez, e dá, a partir da segunda adquirida, PV. A grande questão nesta fase é que carta usar, pois só uma pode ser baixada agora (Nota do Sr: Slovic: É possível baixar nas outras fases, mas só nesse é garantida).

A segunda fase lembra muito os jogos do Stefan Feld, como Bora Bora e Castle of Burgundy. Vários dados são lançados (são dois por jogador mais um). Cada jogador deve escolher dois dados e ganhar o bônus conforme a tabela no Tabuleiro Central: Recursos, Produtos, Dinheiro e baixar mais Cartas estão entre os bônus. O dado que sobrar é usado por todos.



Na terceira fase cada jogador deve escolher um token de entrega (Há quatro para cada um). A entrega serve para movimentar os Recursos e Produtos dentro do sítio e para a Vila (exceto para a Feira). Há dois símbolos no token: burrinhos e chapéus. Cada burrinho no Token escolhido permite que uma entrega. Cada Chapéu dá um ponto na Trilha da Siesta (Nota da Sra. Slovic: Siesta é um costume muito comum na Espanha e no México, onde os trabalhadores tiram um descanso após o almoço para dormir). A posição na Trilha determina o primeiro jogador no próximo turno e dá PVs. Um token usado é descartado e só pode ser usado novamente na quinta ou sexta rodada. Na entrega é possível movimentar os Recursos e Mercadorias para os espaços disponíveis em um Contrato. Quando um contrato é completado, os Produtos são levados até a Feira, o que dá mais PV e Mercadorias. É possível usar a entrega para levar recursos, produtos ou dinheiro para os Prédios do tabuleiro central. Cada Prédio completado dá um bônus na primeira fase. Por fim, pode gastar dinheiro para realizar mais entregas. E Na ultima fase são distribuídos os PV da Feira e da Trilha de Siesta.

No geral, La Granja que tem um toque de Uwe Rosemberg e Stefan Feld, é um grande jogo de gerenciamento, com um fator sorte que não é predominante. Há imprevisibilidade na jogadas de dados e na compra das cartas, mas nada quem um bom planejamento não resolva. Apesar de não ser um jogo muito leve, justamente por causa da escolha das cartas (Nota da Sra. Slovic: tem mais de setenta cartas, cada uma podendo ser usada de quatro formas diferentes!), a passagem do tempo raramente é percebida e quando se você se dá conta, já está no último turno. Quase não há interação entre os jogadores, que só ocorre quando as há entregas na Feira, pois é possível tirar uma peça adversária se o número da barraca adjacente for menor que a usa (Nota do Sr. Slovic: Sim, nessa parte é um jogo Fura Olho, mesmo), por isso é possível jogar Solo com pouquíssimas modificações nas regras. Não é por acaso que La Granja está no topo de várias listas de bons jogos. Bons não, excelentes! É hora de sujar a mão de terra. Quem está conosco?

Nenhum comentário:

Postar um comentário