Logo

Logo

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Myrmes

Dia após dia é só trabalho e mais trabalho. Cavar túneis, proteger a colônia, cavar mais túneis, cultivar alimentos, cavar túneis maiores, cuidar dos filhotes, cavar túneis mais profundos, caçar, já disse cavar túneis? E salvar a Rainha. Ah, minha bela Rainha, mãe de todos. Nossa primeira visão ao nascer e nossa última lembrança ao morrer. Mesmo quando cavamos túneis pensamos nela. Ou quando somos esmagados por gigantescas botas ou queimados com um vidro convexo que amplifica a luz do Sol. Sério, como alguém se diverte fazendo essas crueldades. E enquanto cavo mais túneis, escuto ao longe esses estranhos humanos gritarem que Myrmes Tá na Mesa!

Myrmes é um simpático e exótico jogo lançado em 2012 por Yoann Levet, de dois a quatro jogadores, com duração média noventa minutos. Com uma temática pouco convencional, em Myrmes os jogadores devem gerenciar um formigueiro.

- Como assim? Tenho que cuidar de uma fazenda de formigar idiota. Sou alérgico a insetos.

Calma, Iridomyrmex Humilis. Assim como em Kanban você não vira um Treinee ou em Last Will você não se torna um aspirante a bilionário, em Myrmes você não tem que cuidar de formigas reais. Cada jogador lidera uma colônia de formigas (Nota das Sra. Slovic: As miniaturas das formigas são fantásticas. Muito bem feitas). O jogo tem dois tabuleiros: os individuais, que representam o formigueiro, com seus túneis e câmaras e; o principal, que representa a superfície em cima da colônia e onde também estão a trilha de pontuação e a área dos objetivos. Cada tabuleiro tem uma mecânica  básica principal: alocação de trabalhadores no individual e controle de área no principal.

Cada rodada é dividida em seis fases, sendo que exceto pela primeira, casa uma é representada por um túnel do formigueiro. No início os jogadores jogam o dado da estação e distribuem suas enfermeiras (Nota do Sr. Slovic: Para quem não sabe são formigas especializadas que ajudam a rainha a cuidar do formigueiro. Ou seja, são uma espécie de gerente da colônia) pela colônia. Dependendo da câmara escolhida elas realizam um tipo de ação: nascimento de novas larvas, transformação das larvas em formigas especializadas (soldados, trabalhadoras e enfermeiras), criação de novas saídas do formigueiro, aumento do nível da colônia ou realização de objetivos. As Trabalhadoras são usadas para explorar a superfície, onde podem lançar feromônios e conseguir recursos, ou recolher recursos nos níveis já abertos. Quanto mais profundo é o formigueiro, melhores recursos estão disponíveis e melhores capacidades, como lançar feromônios maiores ou maior capacidade de armazenamento de recursos. Os recursos são Larvas, Alimento, Terra e Pedra. Já os Soldados servem para capturar uma presa na superfície. Cada tipo de presa (joaninhas, cupim e aranha) necessitam de uma quantidade diferente de Soldados para serem capturadas e dão alimento e Pontos de Vitória (PV). Cada rodada é uma estação do ano e o jogo termina após três anos.



- Vocês falaram que o jogo dura alguns minutos e não três anos. Nem War demora tanto assim!

Claro que não, cérebro de Coccienella Septempuntat. Myrmes tem duração de seis turnos, já que em cada ano o inverno não é jogado. No início de cada estação é jogado um Dado de Evento. Seu resultado dá o mesmo bônus para todos os jogadores, que varia de mais movimento para as Trabalhadoras na superfície e aumento na taxa de criação de Trabalhadoras. Cada jogador pode gastar larvas para modificar seu bônus, somando ou subtraindo o valor do dado. Isso permite ajustar o bônus conforme sua estratégia. No inverno, cada jogador deve gastar comida para a colônia sobreviver. Se não houver alimento suficiente as larvar são sacrificadas. Se ainda assim não conseguiram, perde-se PV.

Os objetivos variam de gastar determinado tipo de recurso, ter um certo número de marcadores de presa ou alcançar certo nível da colônia, entre outros. Sempre há seis objetivos abertos, dois por nível de dificuldade. Quanto maior o nível, mais PV eles dão e cada jogador que completa um objetivo depois de você te faz ganhar mais PV (Nota do Sra. Slovic: Por isso é importante completar os objetivos rápido, apesar de alguém serem praticamente impossíveis).


No geral Myrmes é um ótimo jogo. Foi uma grata surpresa. O jogo é lindo (a caixa é uma das mais bonitas que já vimos) e dá a impressão de ser bobinho (Nota do Sr. Slovic: Claro, qual é a dificuldade de comandar um formigueiro, não?), mas é um jogo complexo e não muito simples de explicar. Apesar dos tabuleiros serem totalmente iconográficos, as regras não são simples, porém uma vez entendias, o jogo se trona bem fluído e corre sem problema alguém. No fim da primeira Primavera todos estarão entendendo as mecânicas. Curiosidade básica: originalmente Myrmes teria o nome de Anterpryse (Nota da Sra. Slovic: um trocadilho com as palavras inglesas Ant e Enterprise, que são respectivamente Formiga e Empresa. Ou seja, literalmente um Empreendimento de Formigas). Preparado para ser a maior Rainha dos formigueiros? Como diria Phineas e Ferb: “Túneis cavando sem se preocupar, Formigas... Soldados vão onde a rainha mandar, Formigas...!”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário