Logo

Logo

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Historia

As areias ainda só timidamente começam a descer pela ampulheta do tempo da humanidade.  Séculos e séculos desfraldados à sua frente, esperando que tome a frente e conduza seus cidadãos ao triunfo ou fracasso. A ciência, primitiva, ainda engatinha aguardando quem a guie. Monumentos ainda são barro desejando alguém a moldá-los. Leis e ideais são tão somente ideias soltas ainda não formuladas. Nações sem fronteiras demarcadas, exércitos sem generais, povos a espera de um líder. Como você traça o destino da sua civilização? Venha, pois Historia Tá na Mesa!



Historia é um belo e surpreendendo jogo, lançado em 2014 por Marco Pranzo. De um a seis jogadores, com duração média de 20 minutos por participante, Historia é um jogo de civilização um pouco fora do convencional.

- Claro que deve ser estranho! Com esse nome só pode ser brasileiro e nenhum jogo nacional presta!

Alto lá, Geração Pepsi Twist Chapado! Primeiro, há incríveis jogos nacionais no mercado e muitos outros surgindo a cada dia. Segundo, apesar do nome, Historia não é um jogo Brasileiro, mas sim, apesar do autor ser italiano, da Terra do Tio Sam (Nota da Sra. Slovic: De outro Tio Sam, não do Sr. Slovic).  Diferente de muitos jogos de civilização, em Historia não há um tabuleiro com um mapa, onde cidades são construídas e exércitos marcham rumo à conquista de vastos territórios. Sim, no jogo há um tabuleiro (Nota do Sr. Slovic: Lindo, por sinal) com um mapa-mundi, mas este é pequeno e só um mais um mero detalhe, onde a maior parte é tomada por uma matriz de Ciência x Força Militar, muito bem bolada. A primeira vista nada faz sentido, mas conhecendo um pouco das regras, o jogo se torna intuitivo e mostra todo seu potencial.

A Matriz de desenvolvimento mostra o quanto sua civilização é avançada em Ciência e quanto é poderosa em Força Militar, e dependendo da relação das duas, em que estágio de organização Social está. Cada cor na matriz representa um tipo de governo, em que todos iniciam no Tribal, e que pode evoluir para diversos caminhos: Império, Iluminismo, Utopia.

As ações são conduzidas por um conjunto de dez cartas. Conforme seu avanço na trilha da Ciência, em cada turno pode fazer uma, duas ou três ações. Cada carta represente um tipo de ação e, depois de usada, é colocada na pilha de descarte, só voltando à mão em determinados momentos da partida, por isso saber quando usar cada ação é importante. As ações variam de aumentar o nível tecnológico ou militar, até guerrear ou construir maravilhas. O combustível para fazer as ações são os Cubos de Poder. Inicia-se o jogo com alguns em mãos, mas conforme são usados nas Ações, são usados no tabuleiro ou colocados em um descarte próprio, só retornando em certas condições. É mais um elemento que deve ser gerenciado com muito cuidado.

- Parece complicado. Melhor jogar War.



Há vida de depois do War, órfão de Dudinka! Historia tem regras simples e intuitivas, mas requer habilidade para dominar sua estratégia. Como já mencionado, há recursos que devem ser gerenciados com cuidado, Maravilhas com habilidades especiais, cartas de Embaixadores de uso único e Cartas de Líderes que traçam um rumo para ganhar Pontos de Vitória (PV) mais facilmente. No fim da partida, quem tiver mais PV, vence.

O jogo é dividido em três Eras e cada era em quarto Rodadas. A rodada termina quando um dos jogadores usa a carta de Rebelião. No fim de cada rodada, há a atualização do tabuleiro e distribuição de PV, dependendo dos territórios conquistados no mapa e na posição na Matriz. Sim, conquista, pois apesar de ser um jogo de civilização pouco convencional, ainda é um jogo de civilização, portando há batalhas, que são facilmente decididas pelo nível Militar de cada lado, mas não há eliminação de jogador.
Há uma regra variante, que adiciona Cartas de Catástrofes, que deixa a partida caótica. Infelizmente as regras para jogo solo deixa a desejar, usando as cartas de Ações especiais, chamadas Civbot, onde outras civilizações são comandadas pelo tabuleiro. Já foram lançadas várias micro expansões, que modificam pouco jogo: caminhos travados na Matriz, objetivos, cidades.



No geral, Historia é um grande jogo. Épico (Nota do Sr. Slovic: Na minha humilde opinião, um dos melhores jogos do tema que existe. Só não é o melhor, por que tenho um sincero afeto, e uma longa história, com o Civilization). As partidas tem uma duração razoável para jogos desse tipo, onde jogos como Clash of Cultures ou Through the Ages pode levar brincando mais de quatro horas. O jogo é dinâmico, com muitas opções para alcançar a vitória. A pontuação varia muito de uma rodada para outro e a troca de líderes a cada Era muda a estratégia e pode beneficiar um jogador que esteja atrás na pontuação.

Então, preparado para elevar sua civilização a novos patamares ou será só mais uma nota de rodapé nos livros de História?

Nenhum comentário:

Postar um comentário